Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

domingo

Alba exige fim de ''agressões'' americanas


Países bolivarianos classificam de "inaceitável e insuficiente" declaração de Trinidad e Tobago
Patrícia Campos Mello
Em um manifesto contra a Cúpula das Américas, os países da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) "exigem" que o presidente americano, Barack Obama, acabe com "a nefasta tradição de intervencionismo e agressão". "Exigimos que o novo governo dos EUA, cuja chegada criou muitas expectativas, acabe com a grande e nefasta tradição de intervencionismo e agressão que a tem caracterizado ao longo da historia e recrudesceu durante o governo (George W.) Bush. Exigimos que o governo elimine as operações secretas e intervenções, diplomacias paralelas e guerras de mídia para desestabilizar governos."No documento, os membros da Alba - Bolívia, Cuba, Dominica, Honduras, Nicarágua e Venezuela - afirmam que a declaração da cúpula é "inaceitável e insuficiente", pois não dá respostas para a crise econômica e exclui Cuba. Os países da Alba também batem de frente nos interesses do Brasil de expandir os biocombustíveis no hemisfério. "Generalizar o uso de biocombustíveis só pode ter efeitos negativos sobre os preços dos alimentos e recursos naturais como solo, água e florestas."A declaração diz também que as medidas divulgadas pelo G-20 na reunião de Londres, no início do mês, são equivocadas. "Estão muito equivocados os que pensam que gastos fiscais e algumas medidas regulatórias resolverão a crise", diz o texto. "Estamos vivendo uma crise econômica de caráter sistêmico, e não uma crise cíclica."Os líderes ainda criticam o G-20 por ter aumentado os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI). "É necessária uma transformação completa do FMI, Banco Mundial e da OMC (Organização Mundial do Comércio), que com seus princípios neoliberais têm contribuído para a crise global."CRESCIMENTOA cúpula da Alba em Cumaná, na Venezuela, também serviu para oficializar a adesão de mais um membro ao grupo, São Vicente e Granadinas. O encontro contou com a participação do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que compareceu como convidado e propôs tratamento comercial preferencial a países sem aceso ao mar.
Fonte: O Estadão

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato