Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

quinta-feira

Golpe militar de 1º de abri de 1964: o maior mensalão da história






Prezado Deputado Chico Vigilante

Parabéns pelo seu excelente artigo no site Brasil 247

Nele o senhor descreve com competência histórica o grande mar de borrasca que representou aquele movimento cívico-militar, cujo golpe contra a democracia, contra o desenvolvimento que experimentávamos e contra a soberania de nosso País, praticamente destruindo o que nosso povo conquistava desde 1954 a partir de Getúlio Vargas.  

O senhor não economiza denúncia a cavalo da verdade, como deve acontecer a um cidadão comprometido com a justiça social, sem rodeios e negociatas.

Hoje, 13 de março, quero recordar e me emocionar com o grandioso comício da Central do Brasil no Rio de Janeiro. Lembro como se fosse hoje. Eu era criança embalada pelos debates e agitações construtivas que tomavam conta do Brasil. Escutei todas as falas pela Rádio Marinquiveiga, de saudosa memória, fechada pela ditadura militar golpista. 

Lembro do discurso de Leonel de Moura Brizola que saudava o Presidente Goulart pela medidas de estatização de multinacionais que sugavam nossos recursos. Lembro dos que saudaram as medidas em favor da Reforma Agrária e demais reformas de base. E lembro com emoção do inesquecível discurso do grande Presidente João Goulart. 

No discurso de Jango senti as marcas dos avanços das conquistas dos direitos sociais dos trabalhadores. Senti a profunda aliança de um governo com os anseios do povo e da Nação. 

Mas lembro do sentido amoroso do povo na Central do Brasil naquela noite. Centenas de faixas apoiavam as medidas do Presidente democrático. Os aplausos pareciam movimentar-se de dentro da alma de cada pessoa na praça, representando os milhões que se espalhavam pelas cidades e pelos campos em todo o País, escutando pelos rádios. 

Pena que nos quartéis, nos parlamentos e entre empresários vendilhões e impatrióticos crescesse o fantasma da traição que urdiu o golpe sangrento, na contra mão de tudo o que o povo celebrara em Praça Pública daquela noite de 13 de março de 1964. 

Pena que poucos dias depois, na madrugada de 1º de abril, os golpistas sujos, nojentos e malcheirosos moral e eticamente deram o golpe de morte no coração do povo, com extremada falta de respeito aos avanços que se desenhavam com muito suor. 

Tiro algumas lições desses dois fatos contraditórios, prezado deputado Vigilante.

Primeira, que governo legítimo é o que se aliança com o povo que debate, que se organiza na luta e que pressiona por mudanças. As mudanças não caem do céu, por mais reza, orações e superstição que se tenha. As mudanças acontecem com muita luta por justiça social a favor do povo quando este se mobiliza organizada e inteligentemente e quando o governo entende e se compromete com esse espírito nacional e popular.

Segunda lição, é que sempre haverá fantasiosos do inferno que “inventam” perigos “comunistas” e outras bobagens para justificar aventuras à direita em favor dos poderosos, do imperialismo,  da concentração de riquezas e de renda. É preciso que o povo se eduque sempre, que se interesse por política, que abrace as causas dos direitos humanos em massa para evitar os pescadores malvados de águas turvas.

Terceira, Jango foi vítima como Getúlio da mídia conservadora e irresponsável. Assim como o lacerdismo se projetou contra Getúlio, estigmatizando seu governo de ser enlameado num mar de lamas, assim Jango foi alvo impiedoso da mídia e dos jornalismo atrasado. Assim também hoje se levanta o denuncismo contra o que a direita define como onda de corrupção, deixando passar batido o carrossel dos corruptos, que ela faz de conta não ver. 

Quarta lição, é preciso aprender com a história. O povo e o governo do povo precisam cuidar mais dos traidores e não deixá-los soltos nem ser românticos com eles. Os traidores são mesquinhos, mentirosos e manipuladores. Eles até teatralizam choros de sofrimento e de queixas, mas sempre são traidores. Penso que o querido Presidente João Goulart, também assassinado pela ditadura, foi ingênuo com os traidores próximos a ele e com os distantes, sedentos de levar vantagens em tudo, mesmo que o povo e a Pátria explodam com suas satânicas atitudes.

Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz.
Dom Orvandil: bispo cabano, farrapo e republicano, em todas as situações. 

 

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato