Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

quinta-feira

Resposta às mentiras macabras e medievais de um pentecostal de direita




Caro Prof. Julio Marcos


Foi muito bom nos reunirmos nessa tarde para conversar sobre a construção do Comitê do Turismo e Cultura da Ibrapaz. 


Teu entusiasmo é contagiante, meu irmão. Teu dom artístico é comovente. Como negro dos mais negros vibras com a alegria e a simplicidade dos africanos. Li os poemas de teu opúsculo e escutarei tuas composições no DVD que me deste.


Contaste-me que és espírita kardecista. Descreveste-me rapidamente tua experiência religiosa. Falei-te que a Ibrapaz é tolerante com todas as diferenças e  por não ser de propriedade de nenhuma denominação religiosa respeita sinceramente a todas as experiências humanas com o evento religioso. O que nos importa é que todos nos unamos contra as injustiças na construção da paz via educação.


Pois é, levei um choque quando abri os noticiosos online e me deparei com os horrores de um professor, na ânsia de aparecer e, quem sabe, como candidato de direita ou cabo eleitoral de alguém, nas eleições de 2014, retorne à mídia através de um texto pobre e manipulador, absolutamente inadequado a um pentecostal e professor, que alega ser.  


Como escrevo abaixo, me deparei com este senhor no ano passado tão envolto numa fumaça triste e prenhe de trevas medievais, andando de pires nas mãos a vários órgãos da imprensa tradicional e online, pedindo pelo amor do deus dele que publicassem a campanha de mentiras que fazia. 


Encontrei isso que ele escreveu hoje, que respondi num comentário que transformo nessa carta que te escrevo, no site Brasil 247. 


Conheço pessoalmente esse senhor, cujo nome é Orley José da Silva. Conheço sua causa conservadora e de direita.



Ele é um desses evangélicos pentecostais da ala Silas Malafaia que berram de ódio e de medo do avanço do povo em forma de justiça social, cujo nome mais apropriado mesmo é socialismo. 


A linguagem do prof. Orley é mascaradamente mansa. Porém é pura roupagem da direita que esperneia para preservar as ideias mais conservadoras e atrasadas possíveis na educação contra a concepção de família que seja aberta, socialmente progressista e capaz de acolher os diferentes. 


Nesse texto meloso ele se refere indireta e desonestamente a pressões que reacionários fizeram contra o MEC, contra o Governo Federal e contra a Presidenta Dilma, sem mencionar as verdadeiras intenções e sujeiras que inundaram a campanha eleitoral de 2010, defendidas e apoiadas pelo candidato José Serra, descoberto envolvido na maior onda de corrupção de negociatas com os trens urbanos, em São Paulo. 


Nesse texto de maciez fingida o articulista esconde o medo de que o Brasil avance na direção firme contra o imperialismo como o fez o heroico Presidente Hugo Chávez, que ele e sua turma odeiam porque temem e tremem. 


O senhor Orley comete erros conceitos bem próprios dos mentirosos sem fundamento. Fala, por exemplo, de maneira boateira e rasteira, das intenções do governo federal destruir a democracia. Sua maldade e ignorância sobem a tal grau que falseiam que este governo não tem nada de socialista, até mesmo porque atrasados como este senhor perturbam a marcha do povo em direção ao regime mais justo contra o capitalismo, que é o que no fundo ele defende, com a capa equívoca de democracia. 


O discurso de Orley é o mesmo da direita ressentida e emburrecida. Nessa ladainha mentem sobre comunismo, como se soubessem o que é isso. A ignorância é tão grande que chegam a afirmar paranoicamente que há comunismo aqui e ali. Ora, não há comunismo em lugar nenhum do planeta e estamos longe infelizmente de chegarmos a esse estágio, o mais perfeito das relações humanas, com o qual sonham os oprimidos.  


E segue o rosário de calúnias, sempre escondido numa fachada de um texto pobre e raso, ao afirmar que o governo quer destruir as bases da família tradicional, a favor da diversidade sexual e da diversidade religiosa e cultural. Esconde que seu pensamento é o de discriminar homossexuais, lésbicas, gays, os casamentos entre pessoas do mesmo sexo e as religiões afrodescendentes. Como o seu líder gritão, Silas Malafaia, gostaria que predominasse a homofobia e a discriminação.


Notadamente, a frase a seguir é louvor à direita, ao fascismo, ao neoliberalimo e aos que sempre dominaram o poder no Brasil em favor dos privilégios da classe dominante, mesmo que sob gigantesca corrupção.  “Pelo – diz o falso intelectual - que é possível observar em indícios, os livros se apropriam do ideário socialista de poder pensado a partir do Foro de São Paulo para esta parte do Continente e do Caribe. Socialismo este que se constrói na caminhada e que se convencionou chamar de bolivariano, por sugestão de Hugo Chavez”. Além de tudo, em contradição gritante com o que escreve sobre democracia, até mesmo porque não sabe o que é isso, Orley nega o direito de a esquerda debater os problemas da educação e de orientar o povo de como deve se relacionar respeitosamente com os diferentes. Orley entende que os únicos que podem orientar as famílias são os conservadores, os verbalistas e anti exegéticos que confundem mitos com verdades absolutas e letras de textos antigos bíblicos com doutrinas conservadoras e redutivas de família e da sexualidade humana. Ninguém mais, para ele e sua turma, tem o direito de ensinar nada. 


Por conhecer pessoalmente o articulista sei que ele é viciadamente autoritário, embora a maciez de seu texto leve pela falta de conteúdo. Pedi-lhe os tais livros do MEC onde ele leu apavorado as ameaças de fim de mundo de seu pobre mundo. Ele fugiu e não me emprestou os tais livros. No Facebook tentei debater com ele sobre as mentiras que apregoa, obtendo desse “santo” homem de Deus ameaças e depois o bloqueio. São atitudes tipicamente covardes de quem se sente a própria voz de Deus e dono da verdade. Outro dia, no ano passado, me convidou para assistir uma assembleia de professores do município de Goiânia. Fui, achando que o convidante era pessoa séria e empenhada na luta pela justiça. O que vi foi um grupo de baderneiros de direta fazendo o mesmo discurso da Globo e de Joaquim Barbosa. Noutra vez vi uma foto sua na internet ao lado do deputado João Campos na Câmara em Brasília e de outros da bancada evangélica, como se sabe, a mais reacionária e aliada dos proprietários rurais, anti reforma agrária e de discurso homofóbico de teor fascista. 


O que falta em pessoas como o articulista é honestidade e ética no debate. Nunca se apresentam falando a verdade, quando o que querem é o retorno para o poder o atraso e o neoliberalismo privatista. 


No caso do professor Orely a situação ainda é mais feia. Ele é um cristão pentecostal. É ruim ver um cristão mentindo e fazendo o jogo da direita, que é a mesma coisa que jogar a favor da injustiça e do golpe. É feio ver um cristão defendendo o recuo em vez do avanço, num total atestado de ignorância teológica com referência ao movimento Alfa-Ômega do universo. É triste ver um cristão nas pegadas do farisaísmo, sem tolerância e inundado de ódio e de autoritarismo.


Pena que Orley é tão ignorante e não faça o menor esforço de estudar um pouquinho os autores a quem se refere com tanta pobreza conceitual e desprezo medíocre. Mente sobre socialismo, sobre Antonio Gramsci, sobre bolivarianismo e sobre comunismo. A cavalo de sua ignorância usa conceitos sérios como ameaça para mentir e assustar. 


A alma de nosso professor de Português atualmente demonstra animosidade modelo “Marcha com a família com Deus pela liberdade 2”. Esta, como a primeira, é símbolo grandioso de cizânia, ressentimento, ódio, fanatismos, fundamentalismos, sentimento de superioridade nazista, golpe contra os pequenos avanços que nosso povo conquistou em termos de uma democracia mínima com um desenvolvimento que precisa se aprofundar. A marcha do diabo comandada pela oportunista e sempre atrasada classe média, que nunca teve média, puxada pela TFP, pela Opus Dei e pelos Black Blocs fascistas serviriam bem para o senhor Orley desopilar seus preconceitos disfarçadamente homofóbicos. A marcha da contra marcha da história só não contaria com a adesão do professor e mestrando de um curso de teologia não reconhecido pelo MEC - que sua instituição teme por achar que a artilharia revolucionária instalou-se no ensino oficial federal e aramou barricadas “terroristas” para destruir a família, segundo demonstra em seu texto mendigo através do que denominou de “Livros didáticos para a revolução socialista bolivariana” - porque é pentecostal fundamentalista, bem diferente de outros pentecostais seriamente comprometidos com as mudanças e transformações sociais, como muitos que conheço aqui na Prefeitura Municipal de Goiânia e no Brasil. Aí, é difícil, esse seguimento acha que somente seus seguidores são santos, corretos e “seguindo a Jesus” somente eles caminham para o céu. Onde há católicos, espíritas, umbandistas e outros, mesmo que reacionários, fascistas e estreitos como eles, não se misturam. Acham-se muito puros para isso. A menos quando sofrem ataques de oportunismos eleitorais. Aí pedem votos para todos os conservadores e alienados.



Mas espero sinceramente que Orley se converta a Jesus, que ele não sabe quem é, onde viveu, com quem se comprometeu e contra o que lutou. Espero que ele se converta ao povo e se liberte do fundamentalismo funesto, rancoroso e divisionista, fonte de guerras entre irmãos.


A alma de nosso professor de Português atualmente demonstra animosidade modelo “Marcha com a família com Deus pela liberdade 2”. Esta, como a primeira, é símbolo grandioso de cizânia, ressentimento, ódio, fanatismos, fundamentalismos, sentimento de superioridade nazista, golpe contra os pequenos avanços que nosso povo conquistou em termos de uma democracia mínima com um desenvolvimento que precisa se aprofundar. A marcha do diabo comandada pela oportunista e sempre atrasada classe média, que nunca teve média, puxada pela TFP, pela Opus Dei e pelos Black Blocs fascistas serviriam bem para o senhor Orley desopilar seus preconceitos disfarçadamente homofóbicos. A marcha da contra marcha da história só não contaria com a adesão do professor e mestrando de um curso de teologia não reconhecido pelo MEC - que sua instituição teme por achar que a artilharia revolucionária instalou-se e aramou barricadas “terroristas” para destruir a família, segundo escreve no seu texto mendigo através do que denominou de “Livros didáticos para a revolução socialista bolivariana”, porque é pentecostal fundamentalista. Aí, é difícil, esse seguimento acha que somente seus seguidores são santos, corretos e “seguindo a Jesus” somente eles caminham para o céu. Onde há católicos, espíritas, umbandistas e outros, mesmo que reacionários, fascistas e estreitos como eles, não se misturam. Acham-se muito puros para isso. A menos quando sofrem ataques de oportunismos eleitorais. Aí pedem votos para todos os conservadores e alienados.

.

Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz.

Dom Orvandil: bispo cabano, farrapo republicano, em todas as situações.

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato