Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

segunda-feira

O pastor SM engana deliberadamente ou mente por ingenuidade?





Querido Prof. Márcio


Neste sábado, dia 13 de abril de 2013, preparei meu chimarrão e coloquei na garrafa térmica galinhos de erva cidreira, muito boa para acalmar, enchi-me de paciência e fui à frente do televisor para assistir o “pregador” Silas Malafaia. Ao assisti-lo senti um misto de náuseas com acessos de risos quase descontrolados. O pastor ricaço - conforme a Revista Forbes Malafaia é o terceiro pastor mais rico do mundo, com trezentos milhões de dólares - não me convence em nada. Não entendo como ele consegue levar gente para ouvi-lo em auditórios luxuosos. Não consigo, por mais boa vontade e esforço que eu faça encontrar nada de bíblico e de sério nas pregações de Malafaia. Além de cuspição de textos bíblicos aleatórios, sem nenhuma vinculação teológica entre si e o tema que ele propõe, não vejo nada bíblico nem profundo nas orações do endinheirado pastor. Neste sábado seu programa apresentou o final do sermão sobre vitórias, na verdade uma contação empírica de experiências de alguém que foi da pobreza à riqueza movimentando dinheiro de contribuições de telespectadores, de shows que dá pelo Brasil e no exterior e da venda de livros, na maioria importados e traduzidos dos Estados Unidos. Além disso, com uma cara agressiva e assustada, o pregador em pauta seguidamente olhava para as câmeras para amaldiçoar e ameaçar-nos a nós blogueiros que o criticamos. Ele se sente ameaçado por nossas críticas, bem no estilo dos vaidosos narcisistas que não toleram e temem o diálogo. Eles se pensam donos da verdade e até de Jesus.  

Eu aqui, na minha humildade e simplicidade de quem nunca aceitou explorar as pessoas para arrancar dízimos e viver a custa de chantagens “espirituais”, por isso não disponho de dinheiro para comprar espaços caríssimos de TV, de jornais, de rádios e de revistas conservadoras, discuto aqui por este blog inverdades ditas por ele nesse sábado, mentiras essas já divulgadas por outros.


Não querem um pastor evangélico na Presidência da CDHM


Silas Malafaia disse, desde o luxuoso estúdio das gravações de seus programas de TV, que “esse pessoal de esquerda e ateu”  não aceita Marco Feliciano na presidência da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados por que ele é pastor evangélico. Silas Malafaia mente descaradamente quando afirma essa bobagem. Realmente, milhares de passeatas, de abaixo assinados e de notas pediram ao Presidente da Câmara de Deputados para que trocasse a presidência da comissão. Inclusive, grupos enormes de evangélicos e entidades cristãs se manifestaram contra a permanência de Feliciano à frente de uma comissão que trata de questões que nada dizem a alguém tão preconceituoso e obtuso quanto ele. Eu mesmo assinei uma petição pública que chegou a meu e-mail da qual constava o nome de Anivaldo Padilha, que é evangélico e membro da Comissão da Verdade e de centenas de outros pastores evangélicos. O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs – CONIC – enviou ofício pedindo ao Presidente da Câmara que demita Marco Feliciano. Não consta que o Conic e os pastores que assinaram os documentos mencionados sejam ateus nem filiados em partidos de esquerda.  E se são filiados não há problema, penso.


Silas Malafaia mente desconcertantemente ao afirmar que Marco Feliciano é perseguido por ser pastor evangélico. Outros pastores e membros de igrejas evangélicas fazem a mesma afirmação. Ora, isso não representa a verdade. A CDHM conta com a participação de pastores e membros evangélicos que não aceitam o discurso e a presidência de Marco Feliciano. Estes, no entanto, não são divulgados. A verdade é que Marco Feliciano é abominado pelas pessoas mais conscientes e esclarecidas por ser preconceituoso e por, nessa condição, confundir o poder público legislativo com sua igreja. Questões morais como homossexualismo, casamento homoafetivo e outros são de abordagens internas das confissões religiosas, onde devem exercer plenamente seu direito de orientação, desde que não violem os direitos humanos.  Querer impedir que o legislativo federal debata e ordene principalmente os instintos bandidos representados pela homofobia. Preferem apelar para o ódio, à intolerância sob uma ditadura teocrática. Malafaia mente quando não coloca em seus superficiais discursos essa demanda contraditória. Afirmar um lado só, principalmente o que representa o ódio, é tentar firmar-se num lado só do debate, portando, o da meia verdade, o que equivale dizer mentiras. 


Marco Feliciano, então, é discutível como pessoa que assume postulados de direita bem ao estilo nazista, ao combater os direitos humanos de quem é mais aviltado e humilhado, que são os negros (que Feliciano diz que são amaldiçoados e do diabo por serem negros), dos homossexuais, vítimas de tanta barbárie e de crimes hediondos, de mulheres que abortam, tão massacradas pelo machismo e pela opressão capitalista. O principismo de Malafaia, de Feliciano e de outros evangélicos superficiais ao afirmar que  amam o pecador mas odeiam o pecado não convence. Eles agem com ódio e com intenções descontrutivas das pessoas quando falam e agem. 


Ateus e marxistas


Silas Malafaia mostrou publicamente suas garras e dentes ferozes ao afirmar que Marco Feliciano e os evangélicos são perseguidos por ateus e marxistas. Agora a coisa é clara: ele é que persegue e o faz com motivações ideológicas. Ele afirmou que não querem Marco Feliciano como presidente da CDHM por motivação ideológica. Essa afirmação não é  de todo inverídica, o mal que nela está é o rancor preconceituoso de direita. É claro que muita gente boa não quer Feliciano na Presidência da CHDM por inspiração ideológica. E está certo. Muitos se mobilizam contra o pastor que celebra o assassinato de John Lenon porque suas atitudes são de direita e incentivam o fanatismo intolerante que ameaça a democracia.  Marco Feliciano conta com pelotão de proteção que é comandado pelo deputado nazista Jair Bolsonaro, que também orienta Silas Malafia. Basta que seu acesse o Twitter para se saiba dessa vinculação direitista.


 Afirmar que a não aceitação de Marco Feliciano à frente da CDHM porque as pessoas são ateias e marxistas é desonestidade. Essa acusação é perigosa e muito ruim. Esse discurso já foi usado por evangélicos e católicos de direita para justiçar o golpe militar e ditatorial em 1964. Graças a esse colaboracionismo milhares de jovens e combatentes, entre eles muitos cristãos, foram torturados e mortos. Esse discurso ajudou a que se instalasse no Brasil o terror causado pelos anos de chumbo da ditadura militar. Portanto, não é novo. Além disso, esse discurso é profundamente mentiroso porque esconde o objetivo de enganar o senso comum. Talvez Malafaia e Feliciano nem saibam que muitos “cristãos” foram presos em Cuba e na União Soviética, por exemplo, não era porque aqueles Estados sejam laicos e ateus, mas porque muitos ditos “cristãos” serviam à CIA e à direita, que visavam impedir que a justiça social se aprofundasse através do socialismo. As Bíblias passadas para o interior dos países de regime socialista carregavam em suas páginas folhetos e até armamentos para uso nos boicotes à revolução socialista. Quando ditos cristãos eram e são presos não o são por serem teistas, mas por serem sabotadores financiados pelo imperialismo. Esses cristãos eram falsos e serviçais da ideologia capitalista e do golpe pró yank. Isso Malafaia não fala.


Pessoalmente não acredito nesse trololó de que socialistas e marxistas sejam contra os cristãos. Mas já vi alguns que se dizem cristãos se arrepiarem de ódio aos marxistas. Por outro lado, todos os PCs (Partidos Comunistas) contam com militantes cristãos ativos, envolvidos em igrejas. Nunca ninguém lhes pediu carteirinha de ateísmo. Cuba socialista tem muitas igrejas evangélicas e católicas funcionando com toda a liberdade sob o governo do Presidente Raul Castro como atuavam sob o governo do Comandante Fidel Castro. A partir da visita do Papa Bento XVI a Cuba, e a pedido deste, aquele País passou a fazer feriado na sexta-feira santa e no natal. Onde está a perseguição contra as igrejas e religiosos? O que o socialismo não tolera é a sabotagem, seja de religiosos ou de ateus. O que Malafaia e sua turma desejam é impor sua forma de pensar os problemas e de prejudicar os projetos que eliminem a pobreza a e ignorância. Silas é reconhecido por suas posturas de direita e de apoio ao neoliberalimo. Tanto é assim que ele apoia candidatos de direita com o objetivo de obstaculizar que os governos de esquerda amadureçam e ajudem o Brasil a se afirmar na senda da justiça social. Pastores e padres conservadores não dizem nunca que neste Continente Americano muitos cristãos lutaram e lutam até ao derramamento de seu próprio sangue para salvar seus povos do massacre imperialista. Padre Camilo de Oliveira Torres é o mais conhecido. Dom Romero foi tanto quanto Camilo Torres eliminado a tiros por governo que não se dizia ateu, mas era terrorista e defensor dos privilégios da classe dominante. Muitos perderam suas vidas em defesa da liberdade pisoteada nessa América Latina.  Esses e tantos outros são respeitadíssimos por comunistas e ateus. Não é por ser pastor, então, que se pressiona que Feliciano seja varrido da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, mas por ser traidor do povo e por ser reforço para a direita. Tenho excelentes amigos comunistas e ateus e não os troco por certos santinhos do pau oco. Conheço e tenho muitos amigos que são cristãos que são verdadeiros santos, dedicados ao próximo, longânimos em seu amor e compaixão pelo outro. Todavia, há alguns cristãos dos quais quero distância: são intolerantes, inflexíveis, donos da verdade e traiçoeiros. Não basta decorar Bíblia nem papar hóstia nem dar pulos em cultos de louvor para afirmar que se é cristão. Tenho boas experiências de fraternidade e de ternura poética com ateus e marxistas, que são pessoas doces e inclusivas. Já entrei em auditórios de estudantes e professores universitários trajando batina e nunca fui desrespeitado por ninguém. Pelo contrário, fui abraçado por comunistas, por revolucionários de todas as correntes,  que me cumprimentaram pela luta coerente com o bom combate pela justiça social. Certa vez ingressei num auditório enorme para participar de um debate entre várias tendências de esquerda. Quando entrei de batina preta um rapaz se levantou para me dizer com o dedo em riste que eu deveria conhecer a velha frase da Revolução Francesa “de que a revolução somente seria vitoriosa quando os padres fossem enforcados em suas próprias tripas”. Imediatamente uma multidão de estudantes levantou-se e se interpôs no espaço entre mim e o fanático rapaz para dizer: com o padre Orvandil não é assim. Ele é um revolucionário como nós. Nunca, portanto, fui perseguido por ninguém por ser sacerdote. Mas pela direita já fui perseguido, humildado, preso e até sofri atentados de morte.


Abraços fraternos e solidários na luta pela justiça e pela paz.


Dom Orvandil: bispo cabano, farrapo e republicano.

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato