Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

sexta-feira

O neoliberalismo e os chifres do diabo



Caro amigo Prof. Saulo Bastos Velasco

Saudade de ti, tchê. Saudade de nossas conversas sérias sobre política, religião, família, de nossas piadas e de teu jeito divertido ao refletires sobre a realidade e sobre os inimigos do povo.

Sabes, meu amigo, sempre admirei tua trajetória de vida, de lutas e de estudos. Sempre admirei tua família, teu pai, teus irmãos. A vida nunca foi fácil para vocês como família de trabalhadores. Mas sempre me inspirei na alegria de vocês  e no senso de articulação para superação de dificuldades. Sempre te admirei como pensador e analista político. Sempre me inspirei em tua enorme e copiável generosidade como professor. Tua compaixão com os alunos trabalhadores é emocionante. Isso ficou estampado em minha mente quando fiz palestra na faculdade na qual lecionas aí em Caxias do Sul.   Percebi o quanto os estudantes te admiram. És autêntico discípulo de Paulo Freire e de Jose Martí, o herói intelectual e educador cubano.

Pois bem, querido companheiro, senti pena em não te encontrar quando fui à Caxias do Sul em julho. Mas compreendo teu envolvimento, principalmente desde que assumiste na Secretaria Municipal do Turismo como Diretor de Turismo. Imagino o quanto te ocupas, certo de tua competência e responsabilidade com as coisas do povo. Soube que fazes excelente trabalho e conquistas mais admiração do povo de Caxias. Parabéns. 

Nossa história de vida é indesligável e me sinto homenageado por conviver contigo desde Cruz Alta e Caxias do Sul. Batizei teu irmão Paulo, que também admiro, e tuas amadas filhas, sempre muito bonitas e inteligentes. Esses dias senti muita saudade de teu pai João Velasco, morto precocemente em virtude da falta de compaixão de um hospital daí que não o atendeu porque ele, doente e inconsciente, não pode pagar calção para se tratar, após cair fulminado por um ataque cardíaco à calçada daquele casa dita cristã, de atendimento à saúde. Lembrei muito do João quando perdi o amigo querido Zé Edi, a quem homenageio com a carta abaixo desta, morto, atingido por brutal câncer no estômago e no pâncreas. 

Pois bem Saulo, agora trato aqui do câncer econômico, político e social denominado neoliberalismo. Que posição política desgraçada e diabólica é essa, meu caro! Lembras o quanto sofri aí em Caxias por causa dessa praga? Paroquianos pequenos empresários, entre comerciantes, pedreiros e advogados, tiravam sarro de mim e me perseguiram porque eu me postava contra Collor e Fernando Henrique Cardoso. Recebi uma carta anônima ameaçando de ver o templo da igreja que eu atendia aí detonado por uma bomba. Li para alguns da liderança, que invés de entender e apoiar-me,  acorvardaram-se  e se somaram na perseguição a mim.  Deu um barulho enorme porque diziam que perderíamos a renda de um cursinho pré-vestibular que funcionava no prédio da paróquia. Um vez me desesperei e fiz um jejum de 25 dias contra o neoliberalismo arrasapátria de FHC. O meu então bispo, fraco, inconsciente, alienado, irresponsável e preguiçoso, apoiado por um secretariado diocesano vazio e pobre de formação social e política, me abandonou e ainda me constrangeu junto à minha família. Porém, graças a ti, ganhei apoio da Câmara de Vereadores, do Prefeito Pepe Vargas, dos sindicatos e da imprensa, obtendo repercussão internacional. Considero aquele gesto de extrema vitória. Nunca me considerei covarde e irresponsável socialmente, embora sempre pagasse altos custos por meus compromissos com a Pátria e com o povo. Não me arrependo.

A luta contra essa praga danosa continua, companheiro. Obtivemos vitórias nacionais e internacionais gigantescas. No Brasil, desde 2002 até agora, o povo optou por modelo econômico estatal que privilegia o pensamento coletivo e social, centrando-se democrática e nacionalmente na defesa de uma economia com distribuição de riquezas e de renda, gerando milhões de empregos. 54 milhões de brasileiros passam a contar com vida com trabalho e ganhos, qualificando a circulação de riquezas entre mais pessoas. O atual governo federal empenha-se por extinguir definitivamente a miséria e a pobreza. Isso é maravilhoso. Deve contar com nosso patriótico apoio.

Mas há muito por fazer, meu irmão. A diabólica idéia neoliberal, que privilegia o desgraçado mercado financeiro, com os bancos no comando, conta ainda com defensores em toda a parte. No Banco Central do Brasil ainda contamos com uma corriola que rema contra a vida e mantêm os juros na estratosfera, freando o desenvolvimento com mais trabalho e mais investimentos em programas sociais. No Ministério da Fazenda o Ministro Mântega vacila e não avança, afirmando que salário gera inflação, permitindo que os neoliberais tomem fôlego. No Congresso Nacional direitistas dos Partidos PSDB, DEMOCRATAS e outros, marcadamente neoliberais, sem proposta nacionalista e desenvolvimentista, buscam de todas as formas perturbar o avanço político, social e econômico de que tanto a Nação precisa. Em São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Goiás e em outros estados governadores direitistas e neoliberais participam de fatia política importante do poder e do PIB para travar os avanços. Buscam enganar o povo com propaganda e denuncismos incendiários. A mídia é farsante, mentirosa e faz das notícias e da cultura puro mercantilismo barato, na defesa da concentração de renda e do poder nas mãos dessa elite marginal e burra. Na educação ainda nos deparamos com coordenadores, professores e outros profissionais medíocres, que defendem, através de um discurso bolorento e asqueroso, o mercado neoliberal, em franca contradição com a visão popular de certas diretorias que buscam educação e esforços libertadores em favor dos trabalhadores. Há quem, em nome do neoliberalismo, persiga professores, sempre com a eterna marca da direita: autoritarismo, falta de diálogo, traições e punhaladas pelas costas, em total desrespeito aos professores. Fazem da educação uma mercadoria barata e receita desse mercado neoliberal, de forma alienada e acrítica, como donos da verdade. No campo religioso, vêem-se pastores, padres, bispos e cardeais travestidos de vendilhões do neoliberalismo. Seus rebanhos foram feitos clientes, a quem vendem orações, bíblias, curas, confortos e até namoros. Muitos pastores não passam de vendedores, vestidos em ternos caríssimos e vistosos, como exige o mercado. Silas Malafaia, um desses pastores que apoiou o direitista neoliberal José Serra nas últimas eleições presidenciais, se gaba de ganhar mais de um milhão de reais por ano na venda de livros pela TV. Fazem orações “poderosas” em favor de altos ganhos para seus clientes, desde que esses negociem bons dízimos com Deus, o deus do mercado. 

Sinto, Saulo, que essa praga denominada neoliberalismo, responsável por desempregos, falência dos bens da maioria, vendas das coisas do povo para engordar o egoísmo e a estupidez da classe dominante, ainda conta com muitos representantes em todos os setores. Eles são implacáveis. Eles não têm respeito por ninguém, muito menos por quem trabalha e por quem sofre. São estúpidos, ideologicamente cegos, individualistas, traiçoeiros e intelectualmente medíocres, embora berrem e falem muito.

O remédio para enfrentar essa praga e esses chifres do diabo é a continuação da organização do povo. Nesse sentido alimento muita esperança. As centrais sindicais levantam as bandeiras do trabalho e do desenvolvimento com a diminuição da carga horária, sem redução salarial. Milhões de trabalhadores se mobilizam em todo o País, na busca da realização dos direitos dos trabalhadores, que o neoliberalismo odeia. Defendo que em cada escola, em cada faculdade, em cada universidade os professores se organizem em associações classistas e os estudantes se organizem em entidades estudantis para enfrentar e superar o neoliberalismo.

As pessoas de bom senso não devem, jamais, ser lacaias neoliberais, com esse discurso imbecil do mercado. Que verdade e justiça encontrar no neoliberalismo que levou o Brasil, a América do Sul e o mundo à derrota e à guerra? Como esperar alguma coisa boa de quem defendeu o nazismo e o fascismo, responsáveis por guerras mundiais e falências da vida social?  Como esperar algo bom de nazistas judeus que traíram o holocausto ao fundar um estado nazista como o Estado de Israel perseguindo seus irmãos palestinos? Esses safados estão por aí a comandar o diabólico mercado internacional. Eis os exemplos da Europa e dos Estados Unidos, com imensos sofrimentos para os trabalhadores e povos de lá. 

A construção de educação humanizadora, centralizadora de um pensamento democrático e coletivo, rica em diálogo e correção conjunta dos erros e injustiças, é luta que continua em todas as frentes, meu amigo Saulo. És um desses lutadores, que honram e enriquecem a história do Brasil. Parabéns para ti. E para mim por contar com tua amizade.

Forte abraço para ti e para os democratas anti-neoliberalismo. Abaixo o neoliberalismo. Derrota aos traidores e neoliberais, esses chifres do demônio!

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato