Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

sexta-feira

Uso do Espírito Santo como farsa: pura paparicagem da direita fascista






Aos meus irmãos evangélicos


Um ex aluno meu, pastor da Assembleia de Deus, me contou que num culto uma senhora foi à frente da congregação e dizia que sentia o Espírito Santo a lhe impor que profetizasse à igreja.  Para demonstrar que era possuída pelo Espírito Santo  gritava, gesticulava e caia no piso do templo. Muitos obreiros correram em direção à senhora em posição de recepção ao que ela revelaria. O pastor rapidamente os orientou a não levar em conta as manifestações da senhora porque ela simulava para chamar a atenção. Para ele  não era manifestação do Espírito Santo coisa nenhuma. Era pura dramatização.  


Outro dia um ex aluno meu, que é pastor pentecostal, me perguntou o que eu tinha contra  Silas Malafaia. Respondi que não tinha nada contra o pastor que ele alega ser. Não quero e não devo me meter no exercício ministerial de ninguém. Isso seria preconceito.  Minha análise é sobre a visão e práticas políticas de Silas Malafaia. Sempre digo que não tenho nada a ver com que as pessoas fazem, com os ritos, doutrinas, pregações, instrumentos musicais usados, fomas mais silenciosas ou ruidosas de cultuar nem com os ministérios dos outros. Porém, quando um pastor, bispo, cardeal, papa, pai de santo, médium ou líder qualquer se posiciona politicamente  entra no espaço público, com direito a opinião, à crítica e a ser criticado. Este é o caso do senhor Silas Malafaia, do senhor Marco Feliciano e de tantos outros. 


Meu ex aluno, que é pastor pentecostal, que me perguntou que tenho contra o gritão e histérico Silas Malafaia, ao ouvir minha resposta, me disse: ah nesse sentido eu concordo, mas com respeito a pregação da palavra eu gosto dele. Eu sou do PT, me disse meu amigo ex aluno e pastor pentecostal, e não concordo com as opiniões politicas do pastor Silas Malafaia, mas ele é ungido pelo Espírito Santo. Ele é um homem de Deus. Suas pregações e orações têm poder. 


Pois é, eu não sou juiz de ninguém e nunca fui ao templo desse pastor ouvir  suas  pregações nem fui a nenhum culto de properiedade do senhor Marco Feliciano, que usurpa a presidência da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, ocupando um cargo para  o qual não tem nenhum carisma. Todavia,  como esses senhores invadem o espaço público para opinar e o fazem  de forma violenta e desrespeitosa, tenho todo o direito de duvidar de sua espiritualidade e fidelidade ao Espírito Santo. Pelo contrário, não vejo nada de Espírito Santo neles. Vejo muito ódio e desequilíbrio, isto sim. 


Hoje o senhor Silas Malafaia, que muitos chamam de mala feia e de mala cheia (por causa de seus trezentos milhões de dólares arrancados dos telespectadores incautos, como noticiou a revista Forbes), escreveu um texto, aliás muito ruim, no jornalão Folha de São Paulo no qual defende seu comparsa Marco Feliciano, que alguns chamam de feliz com muito dinheiro que arranca de seus frequentadores em São Paulo. Silas Malafaia, sob inspiração de seu espírito santo com trezentos milhões de  dólares, proprietário de vários templos, mansões, editoras, estúdios de tv, de avião particular  etc disse num de seus programas que, segundo seu próprio deboche, ganha um milhão de reais anuais com picaretagens na venda de livros de baixa qualidade teológica, que escondem ideologia imperialista de dominação estadunidense de nossa consciência (esse é seu real "espírito santo"), não esconde sua postura de direita e de dedo duro. É bom recordar que o senhor Silas Malafaia fez campanha eleitoral para o neoliberal e privatista mal intencionado José Serra, em 2010 para a presidência da República e em 2012 para a prefeito de São Paulo. Felizmente perdeu para as duas. As pessoas esclarecidas sabem que o senhor Silas Malafaia sonha comandar grande império de rádio e tv, com reproduções em todo o mundo. Ele gostaria de ser um magnata da mídia antes de morrer para deixar bastante mamadeira para seus parentes (filhos, esposa, netos, noras etc) mamar e morrer ricos, estilo Roberto Marinho. Ele é adepto e pregador da teologia da prosperidade desenvolvida nos Estados Unidos com o objetivo de sufocar a teologia da libertação. Sua obstinação o leva  a trilhar qualquer caminho que lhe alcanse o grande sonho inspirado pelo "espírito santo" capitalista do monopólio das comunicações. Ele sabe que a mídia no mundo e, particularmente no Brasil, está nas mãos na burguesia poderosa e colonizada, aliada dos grandes proprietários e dos banqueiros, por isso adora ser chamado para entrevistas e aspira todos os dias ser um dos grandes proprietários mediáticos com poderes de influir nos destinos do Brasil, sempre a favor da opressão e dos poderosos. 


Na entrevista à Folha, que intitulou de "Marco Feliciano é a bola da vez" (leia aqui) ele, como a senhora desenganada pelo pastor meu ex aluno, se desmascara sozinho e de maneira grosseiramente estúpida, muito própria de seu caráter. Nesse parágrafo "Como não conseguiram vencer no grito, deputados do PT, PSOL e de outras legendas criaram a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos, a fim de garantir na Câmara a defesa de projetos como o casamento gay e a descriminalização do aborto. Mas existe algo mais contraditório do que "defensores dos direitos humanos" serem a favor do aborto? Tem coisa mais terrível do que tirar a vida de um bebê no ventre da mãe?" Ora, ou Malafaia é burro, não sabe interpretar, nunca teve uma aulinha de filosofia e de hermenêutica para aprender a essência das coisas ou realmente é de má fé e safado. Pessoalmente acredito que ele nunca teve uma só aula de filosofia e de que não entende nada de hermenêutica, mas o eixo de sua afirmação é muito de mais de  má fé e safadeza do que sua incapacidade de interpretação. Todas as pessoas de bom senso sabem que os lutadores dos direitos humanos não andam por aí gritando em favor de aborto e de matança de bebês. Afirmar isso é pura intenção de difamar e desgastar a luta pela justiça social, bem coisa de direitista cheio do "espírito santo" capitalista.  Ninguém de boa fé defende o aborto. Mas é preciso defender a causa de mulheres atingidas por enormes violências que sofrem, incluindo estupros. Nisso o machista cheio do "espírito santo" da reação não fala. Será que o pastor Caio Fábio tem razão quando denuncia num vídeo no You Tube que Malafaia maltrata sua esposa ao ponto de ela de vez enquando ir aos Estados Unidos se tratar com psicólogos e em clínicas psiquiátricas? 


Outra safadeza do homem cheio do "espírito santo"  capitalista e da ganância  é a afirmação que fez no próximo parágrafo, própria  de quem escolheu seu lugar entre os opressores da Casa Grande, em desprezo à justiça e aos sofridos da senzala. Disse o "pregador" de arroubos histéricos ao se referir aos portestos em todo o País contra a eleição de Marcio Feliciano para indigna e indevidamente presidir a Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados: "Toda essa mobilização tinha um motivo maior: desviar os holofotes do PT. Afinal, enquanto se discutia a posse de Feliciano na CDHM, dois deputados condenados pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão, João Paulo Cunha (PT-SP) e José Genoino (PT-SP), tornaram-se membros da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, a mais importante comissão da Câmara."  Não é que o senhor Malafaia não tenha direito de criticar deputados e militantes do PT. Estes sabem da necessidade da crítica honesta, sincera e indicativa de erros. Aí é que está: o senhor cheio do "espirito santo" da casa grande não é honesto nem justo em sua crítica. Silas cinicamente prega que houve julgamento pelo STF, quando, na verdade e todas as pessoas sabem disso,  ministros insuflados pela mídia, pela qual quem  Malafaia é apaixonado, impuseram resultados e penas de um julgamento do tipo daquele que condenou injustamente Sócrates à prisão e à morte. Ele não sabe ou é desonesto eticamente (creio mais nessa possibilidade) que no parlamento os deputados João Paulo e José Genuíno ocupam legitimamente os cargos para os quais o povo os elegeu. O julgamento esdrúxulo e sem provas que os condenou ainda não acabou e há muitos trâmites a seguir. Quem os julgou e condenou nesse parágrafo rancoroso foi o gritão pregador e vendedor de livros mal traduzidos e de baixo nível intelectual. Malafaia nega espírito pastoral ao se referir de forma tão desrespeitosa e cruel a dois deputados que se sentem profumdamente feridos com as injustiças sofridas por um julgamento injusto e desproporcional. Este senhor segue uma linha partidarista ferina e divisionista clara. No Twitter ele declara que no ano que vem haverá eleições e que os "evangélicos" elegerão ainda mais pessoas do tipo Feliciano. Ameaça a Presidenta Dilma chantageando que ela perderá os votos dos evangélicos. Portanto, é explíctio o jogo de interesses pela direita política mais retrógrada possível do qual participa malandramente. Em nenhum momento pensa e diz da necessidade de o Brasil avançar nas conquistas políticas e econômicas para qualificar a vida do povo. Nada, só pensa em seu jogo mesquinho a partir da mediocridade de seu moralismo farisaico de quem toma o combate contra os homessexuais como única tática para se manter na mídia.O narcizismo sádico de Malafaia é sem limites.


Na defesa de seu comparsa e devorador de "ovelhas", Marco Feliciano,  aquele que cobra por orações, que briga com crentes que não lhe dão senhas para que assalte as contas dos que dão dinheiro para suas vaidades, Malafaia não poupa energia para caluniar, difamar e dedurar pessoas que lutam pelos direitos humanos e sociais. Seu artiguete tem o objetivo de afagar o ego da mídia dominante enquanto pega carona  no ruído que vive seu comparsa. Na verdade, Malafaia andava meio esquecido pelo PIG desde que ajudou na derrota de seu pupilo, o privatista José Serra. Agora pega carona para aparecer e dar novas e infundadas entrevistas, sempre muito cheio do "espírito santo" dos preconceitos, do moralismo farisaico e de sua missão de ser linha auxiliar atrasada da direita. 


Por ser de direita e mal (ou mala) intencionado, Malafaia, que não é homem de bem nem comunga com o Espírito Santo, não critica a esquerda quando esta patina e dá lugar para a direita. Este é o caso que possibilitou o assalto à  Comissão dos Direitos Humanos e Minorias por um racista e incompetente, o senhor Feliciano, apoiado pelo folclórico nazista Jair Bolsonaro. A esquerda vem dando mole para a direita. Há petistas que caminham em sapatos com saltos muito altos e se afastam do povo. Abandonam os postos de luta e defesa do povo. Esse episódio do golpe dado na comissão é sinal de alerta. A direita é rancorosa, odeia com todas as forças tudo o que é do povo. Por isso, não perde tempo em golpear. Criticar a esquerda é identificar seus vacilos. Entrar pela porta do moralismo mentiroso e safado, pela qual entram tipos como Malafaia e Feliciano em proveito da direita hipócrita, é trair o projeto de libertação nacional.


Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz.


Dom Orvandil: bispo cabano, farrapo e republicano. .

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato