Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

quinta-feira

Esse é o sistema político-econômico idolatrado pelos tucanos e demos






Desigualdade salarial nos EUA é maior do que na época da escravidão, diz estudo Opera Mundi

 

Nova York é o estado menos igualitário do país, segundo o jornal Huffington Post

A desigualdade salarial entre os norte-americanos é maior hoje do que nos tempos da escravidão. Essa é a conclusão de um estudo divulgado neste mês pelo National Bureau of Economic Research.

Mesmo com a inclusão dos milhões de negros que eram obrigados a trabalhar até quando os seus proprietários julgassem necessário, a divisão de renda nos Estados Unidos do século 18 era mais justa do que a atual.

O estudo, realizado pelos pesquisadores Peter H. Lindert e Jeffrey G. Williamson, mostra que até mesmo antes da independência norte-americana, em 1776, as colônias britânicas na América do Norte eram menos desiguais do que o país é hoje.


Leia mais
A pesquisa dos dois economistas, das universidades da Califórnia e de Harvard, faz um levantamento das médias salariais nos Estados Unidos entre 1774 e 1860. Segundo eles, o Sul do país, cuja economia era baseada no modelo agrícola escravista, era mais rico e igualitário que o Norte industrializado até a Guerra de Secessão (1861-1865). A partir do início do conflito, porém, o Sul sofreu uma queda vertiginosa em sua renda.

De acordo com o jornal Huffington Post, o estado de Nova York apresenta a maior desigualdade salarial no país atualmente, com 14,2% da população abaixo da linha da pobreza.

Em seguida aparece Connecticut, que tem a maior média salarial, mas não consegue dividir a renda igualmente entre os seus cidadãos. Texas, Louisiana e Alabama são os outros estados que estão entre as cinco maiores desigualdades salariais dos Estados Unidos.



Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato