Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

terça-feira

Os porões de morte do mercado: os ratos invertem as armadilhas






Prezado Frei Antonio


Agradeço sua solidariedade demonstrada na participação da campanha em favor do hum milhão de curtidas aqui no blog. Isso é importante porque esse blog é embrião da Ibrapaz (www.ibrapaz.com.br). Entre as curtidas no Plug-in social do Facebook, no Facebook e no Google Friend Connect já chegamos a quase dois mil. Damos os primeiros passos. Chegaremos lá. 


Outrossim, querido Feri Antonio, retorno ao tema mercado. Confesso que ao mencionar essa palavra sofre dores estomacais. O mercado representa o centro das causas das grandes tragédias humanas, geradas pelo ser humano e seus desvios éticos. Atentados às pessoas, notadamente aos trabalhadores e aos pobres, invariavelmente contam com o mercado como causa.


Ao aproximar-se o dia sagrado de celebração ao dia dos trabalhadores e trabalharas é necessário que se pense na enorme contradição entre a classe trabalhadora e a pior fisionomia da classe dominante, o mercado. 


Um fato ontem, envolvendo um jovem trabalhador me enche de indignação e de revolta. Claro, para a mídia venal e apodrecida, que ama vender sangue pelas telas de suas nojentas TVs e páginas imundas de seus jornais e revistas, o que relatarei aqui é rotina que não impressiona.


Moro ao lado de uma cidade da Grande Goiânia, o município de Aparecida de Goiânia. Ali se alojam inúmeras faculdades, dessas que fingem ensinar, onde os alunos fingem aprender, cujo produto comercial elas denominam ensino superior, aliás, muito inferior. 


Pois bem, ontem um jovem trabalhador saiu da uma sala em direção à sua residência, depois de findar o período de aula. Logo, bem próximo da faculdade, teve sua caminhada interrompida por dois bandidos. Estes anunciaram o assalto sob a ameaça de revolveres. Armados, covardemente saquearam a mochila com tudo, dinheiro, documentos, celular e tênis do pobre rapaz. Após a limpa, gritaram para ele que baixasse a cabeça e retornasse para o rumo contrário do que seguia, sem olhar para trás, sem reclamar, senão o fuzilariam. 


O que isso tem a ver com o mercado? Tudo. A faculdade não se integra na comunidade porque nela não tem interesse, apenas no dinheiro do produto ruim que oferece, o ensino para o mercado, por isso não cuida da segurança de seus estudantes e professores, estes explorados até a última gota de sangue. Os assaltantes usavam revolveres adquiridos no mercado assassino, sedento apenas de lucro. Por trás da brutal violência que ameaça e mata jovens confusamente sonhadores, está o mercado de drogas, com cujos agentes os traficantes contraem pesadas dívidas que têm pagar. Se não vendem seus produtos assaltam e matam para ressarci-las. 


Não há nenhum exagero em entender que o tráfego assassino de drogas pertence ao mercado, tão defendido por vendedores cegos do ensino.  As drogas, principalmente as pesadas, são produzidas em laboratórios quase a céu aberto e ao ar livre. Ninguém faz nada para impedir seus abusos e a destruição da juventude que eles promovem. 


O comércio de drogas, que tem por trás bandidos satânicos, conta com capilaridade que se estende por todos os setores da sociedade insensível. Na justiça, nos parlamentos, na mídia, nos bancos, no comércio poderoso, nas igrejas e nos executivos das diferentes instâncias do Estado se movem e se ocultam, como ratos em porão de navio, as maiores âncoras do mercado criminoso, que é apenas uma parte do mercado liberal, o mesmo que mata de fome, com a produção de armas e com juros altos, gerando desemprego e miséria. 


O mercado para o qual instituições “preparam” “profissionais” é a fonte de todos os males, desgraças e destruição das pessoas, acentuadamente os trabalhadores e os jovens. Considero criminosas as instituições e professores que “formam” – melhor dizendo, deformam – a juventude dizendo que ela deve se preparar para atender as exigências do mercado. 


O rapaz assaltado ontem é assaltado todos os dias pela faculdade onde estuda, que gera lucros para seu dono neoliberal e de ética duvidosa, ao ser amigo de um dos maiores traficantes do Brasil, há pouco alvo de CPMI, que, na verdade, o aliviou e liberou para os negócios que continua fazendo, segundo seguidas denúncias de parlamentares da Assembleia Legislativa de Goiás. 


O pior dos assaltos de que é vítima o estudante assaltado ontem e milhões de outros pelo Brasil afora, é o praticado legalmente quando os fazem acreditar que o mercado é santo, que gera felicidade e bem estar, fomentando neles sonhos egoístas, mentirosos e profundamente injustos. 

Os bandidos comuns são desrespeitosos, insensiveis, racionalmente frios e calculistas ao usar as pessoas assaltadas como meios de lucros quanto os  donos de supermercados, de fábricas de remédios, de alimentos, donos de escolas, fazendeiros que matam posseiros e indígenas e, principalmente, os banqueiros, que promovem guerras no mundo para assaltar as riquezas dos povos e da nações. Isso é mercado, esses são os ratos de navios que aparecem em plena viagem para destruir indefesos. 


Espero, querido Frei Antonio, que em breve conversemos sobre as possibilidades da Ibrapaz  na perspectiva da construção da consciência cidadã na caminhada na senda da justiça e da paz aí no seu Estado do Ceará, a partir da cidade de Barbalha. É evidente que nossa Ibrapaz se distingue do ensino para o mercado. Nosso projeto objetiva educar cidadãos e cidadãs que se emancipem como sujeitos sociais e ajudem a mudar essa sociedade que aí está, tirando de seu centro o mercado marginalizante e destruidor do ser humano e do planeta terra, que ele suga sem parar.


Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz.

Dom Orvandil: bispo cabano, farrapo e republicano, em todas as situações.

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato