Novo endereço

Este blog mora em outro endereço. Acesse +Cartas e Reflexões Proféticas e divulgue, por gentileza!

Pesquisar este blog

terça-feira

Evitar retorno da direitona privatista e imoral




Há uma semana  DomTomás Balduíno, presidente de Comissão Pastoral da Terra, deu uma entrevista  sobre documento que conta com apoio de inúmeros religiosos, transformado em panfleto destrubuído no Brasil inteiro alertando para os golpes dados pela direita que apoia José Serra, com a aquieciência deste. Dom Tomás deu entrevista em CEBs Acontece sobre esse diabólico movimeto e a necessidade de reagirmos. A entrevista me foi enviada pelo Padre Giba de Sorocaba - SP. Abaixo transcrevo a íntegra do texto de D. Tomás.

 
Faltando duas semanas para a realização do segundo turno, religiosos/as católicos/as e evangélicos/as lançaram uma carta declarando o voto na candidata do PT Dilma Rousseff. 

A IHU On-Line entrevistou, por telefone, Dom Tomás Balduíno, bispo emérito de Goiás e presidente honorário da CPT nacional, que também assinou o documento. Na entrevista, ele fala sobre a necessidade de escrever o documento em apoio à Dilma. “A questão não é o amor à Dilma, mas o ódio ao projeto de Serra. A opção por Dilma é simbólica, o significado da opção por Dilma é o mesmo de Lula, é a possibilidade da caminhada dos Sem Terra, dos negros, dos índios sem repressão”, explica.

Confira a entrevista.

IHU On-Line – Quando se sentiu necessidade de
escrever esse documento de apoio à Dilma?

Dom Tomás Balduíno –
Foi no momento do beco sem saída. Só temos duas alternativas: ou Serra ou Dilma. Agora, é salvar o que se pode salvar. A questão não é o amor à Dilma, mas o ódio ao projeto de Serra. O significado da opção por Dilma é a possibilidade da caminhada dos Sem Terra, dos negros, dos índios sem repressão. A prioridade não é a concentração, não é a privatização. Trata-se de derrotar a “direitona” que é contra os pobres, negros, índios e camponeses. Em oito anos, o governo Lula teve muitos defeitos e equívocos, mas ele não implementou a repressão. Todo mundo me fala da carta, alguns acham bom, outros ruim, mas isso significa que ela está seguindo o seu caminho e chegou em boa hora, ainda em tempo de se refletir.

IHU On-Line – No primeiro turno, alguns bispos aconselharam a sociedade a não votar na candidata do PT. Assim como há um movimento dos evangélicos apoiando Serra em função da discussão sobre o aborto e a união civil homossexual. Como o senhor vê esses posicionamentos?

Dom Tomás Balduíno – 
Alguns bispos tiveram esse posicionamento no primeiro turno porque havia mais opções, eu mesmo
votei em Plínio.

IHU On-Line – Como o senhor percebe esse debate que está sendo feito acerca do aborto?

Dom Tomás Balduíno –
Isso é um gancho
favorável à oposição. Mas tanto um lado quanto o outro tem problemas com relação à compreensão do aborto. Nós, da Igreja, questionamos esse pessoal que só fala em proteger a vida intra-uterina. Está certo, mas o pessoal é tão fanático que esquece que a vida vai além disso, que Jesus valoriza a vida do marginalizado, do oprimido, do pobre, do escravo.

IHU On-Line – Como o senhor vê a dimensão que a religião está tomando nesse debate para o segundo turno?

Dom Tomás Balduíno –
Acho que a
Cúpula da CNBB está tendo uma posição respeitosa com a cidadania. Cada um é livre. Então, a Igreja não vai se apropriar do seu prestígio e força histórica para pôr um candidato ou vetar outro. Isso aconteceu no passado e foi um desastre. Do ponto de vista da direção da CNBB, tudo bem, foi corretíssimo. A nota da CNBB foi serena e bem vinda porque respeita o nosso direito de votar em quem se acha melhor.

IHU On-Line – Como a Igreja Católica sairá dessa eleição?

Dom Tomás Balduíno –
Não há uma
crise na Igreja Católica. O centro de decisão tomou uma posição racional, não passional, mas respeitosa. Isso vai balizar o andamento da carruagem depois da eleição. Haveria crise se essa esfera não fosse atingida. Para nós é uma referência muito importante em termos de compreensão do conjunto do respeito pelas diversas opções.
IHU On-Line – Quem fez mais pelo povo indígena brasileiro?

Dom Tomás Balduíno –
FHC foi contra esse povo. A direita, quando entra no poder, faz concentração, porque ela é classista e faz política de exclusão e mercantilização. Minha posição pode ser dura e intempestiva, mas continuo pensando que no dia em que a bancada ruralista dominar o Congresso, nós estaremos, literalmente, perdidos.

IHU On-Line – Os povos indígenas estão apoiando quem?

Dom Tomás Balduíno –
Eles estão com eles. Os povos indígenas têm sido muito mal tratados, mas atualmente não tanto como em outros governos. Antes de
Lula, os povos indígenas sofreram muito. Na questão de Raposa Serra do Sol, por exemplo, devemos tirar o chapéu. Mas também tivemos retrocessos, como, por exemplo, por parte do Supremo Tribunal Federal que colocou restrições aos direitos dos povos indígenas. Os índios estão num patamar de consciência e organização que é importante, eles assumiram a posição de sujeitos da sua própria história. A causa indígena está salva por isso, não por governo A ou B, mas porque eles tomaram uma posição mesmo com todo o sofrimento pelo qual passam. O próximo governo terá pela frente povos organizados.

As 10 postagens mais acessadas

Postagens antigas

Seguidores deste blog

Curta e compartilhe

 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato